Correção de fator de potência

Apresentação:


Veja aqui mais detalhes sobre correção de fator de potência em equipamentos de refrigeração.
Aplicações práticas:
• Indústrias (onde há um elevado número de motores e reatores)
• Comércio em geral
• Residências
• Hospitais, escolas, clínicas e laboratórios

• Navios
• Restaurantes, hotéis, motéis, pousadas, bares, supermercados, frigoríficos e indústrias do setor alimentício em geral
(onde há um elevado número de equipamentos de refrigeração)
O que é fator de potência:
Fator de potência é a razão entre a potência ativa (em kW) e a potência aparente (em kVA). No caso, é a energia elétrica que está sendo transformada efetivamente em trabalho e a quantidade que está sendo consumida no total, incluindo cargas reativas (indutivas e capacitivas). O seu valor é um número que varia entre 0 e 1, sendo 1 o valor máximo e considerado ideal.

Quanto mais próximo de 1, mais eficiente será essa transformação energética, ficando mais próximo de cargas puramente resistivas. Tudo isso é calculado pela expressão FP = kW / kVA. Isso significa, que o fator de potência indica se o equipamento ou circuito está apresentando uma boa ou má eficiência energética.

O fator de potência ideal é 1 e multiplicando esse fator por 100, obtemos percentualmente (%) o rendimento energético do equipamento ou circuito analisado. É indispensável obter a maior eficiência energética. Veja abaixo alguns exemplos do que pode ocorrer, quando se tem um baixo fator de potência:

• Quedas de tensões acentuadas nos condutores e componentes
• Baixa potência de operação
• Superaquecimentos
• Perdas de carga
• Redução da capacidade de alimentação do sistema
• Desgaste prematuro de equipamentos e de componentes elétricos e eletrônicos

Objetivo:
O objetivo da correção do fator de potência é o ganho de eficiência energética, além de reduzir ao máximo a defasagem entre tensão e corrente. Dessa forma, reduz-se ao máximo o consumo de energia reativa e evita-se que a empresa receba multas em sua conta de energia elétrica por excesso de consumo de energia reativa.

Sabe-se que o baixo fator de potência ocorre, quando é consumido muita energia reativa em relação à energia ativa, algo muito comum em motores de indução por exemplo. O excesso de energia reativa indutiva, pode ser neutralizada por uma carga capacitiva. Dessa forma, o caminho mais seguro para efetivamente corrigir o fator de potência e compensar o excesso de cargas indutivas existentes, é fazer a instalação de um banco de capacitores.

No entanto, em alguns casos específicos, como por exemplo: circuitos de luz de emergência com elevado número de lâmpadas fluorescentes compactas, pode ocorrer o contrário, onde neste caso é usado um banco de indutores, para compensar o baixo fator de potência dessas lâmpadas que apresentam elevado efeito capacitivo.

As cargas indutivas produzem um atraso da corrente elétrica em relação à tensão. Já as cargas capacitivas produzem exatamente o oposto, apresentando um adiantamento da corrente em relação à tensão. O banco de capacitores atua compensando a defasagem entre a tensão e a corrente, se opondo as cargas indutivas, enquanto o banco de indutores em relação as cargas capacitivas, faz exatamente o mesmo de maneira inversa.

Correção de fator de potência em equipamentos de refrigeração:
Hospitais, clínicas, laboratórios, restaurantes, hotéis, motéis, pousadas, navios, bares, supermercados, indústrias do setor alimentício e o comércio em geral, geralmente possuem um número expressivo de equipamentos de refrigeração como por exemplo: ar condicionado, refrigeradores, bebedouros, câmaras frigoríficas, congeladores industriais, geladeiras entre outros.

A grande maioria desses equipamentos, tem um ponto em comum que é a utilização de motores em compressores, que naturalmente apresentam um baixo fator de potência. Se o estabelecimento analisado, possuir um número expresivo destes equipamentos, estes acumularão um fator de potência indutivo total muito baixo. Daí ser essencial realizar a correção do fator de potência desses equipamentos.

Utilizando instrumentação dedicada, a EVEC Engenharia e Comércio realiza medições intensivas e locais de: tensão, corrente, consumo de potência ativa, consumo de potência reativa e o fator de potência. A partir destes dados, calcula-se o valor da capacitância necessária para elevar o fator de potência a níveis iguais ou acima de 0,95, usando um ou mais capacitores. Estes são sempre conectados em paralelo ao enrolamento de marcha (ou principal) do motor do compressor e de modo que este acionamento, só ocorra quando este estiver efetivamente operando e desligando sempre quando o motor automaticamente também for desligado.

Veja aqui neste vídeo mais detalhes.
Benefícios da correção do fator de potência:
Redução do consumo de energia elétrica
Aumento da vida útil das instalações e dos equipamentos
Redução de calor gerado nos equipamentos
Redução da corrente reativa
Evitar manutenção desnecessária de equipamentos
Não é necessário trocar as seções de condutor para outros de maior bitola
Não é necessário trocar o transformador para outro de maior capacidade
A EVEC Engenharia e Comércio realiza inspeções, medições e projetos de correção de fator de potência comercial, industrial, hospitalar, naval e residencial.